25 de nov de 2010

A Criação do Mundo : Conto Africano Escola M Bela Vista do Lobato

 Cultura Afro descendente: Contos Africanos (Raul Lody)


A Lei 10.639, que torna obrigatório o ensino de História da Cultura Africana nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio fez sete anos em janeiro de 2010. As Escolas Municipais e Particulares já devem possuir, a uma altura desta, um trabalho vinculado a Cultura afro descendente no ambiente escolar. Cabe ao educador, pedagogos, diretores e gestores adaptarem o seu PPP Projeto Político Pedagógico à este trabalho a fim de validar a Lei e permitir a acessibilidade dos alunos ao estudo de sua própria cultura.





“Não podemos continuar com uma escola que descaracteriza a cultura de massa em sua descendência pela cultura européia, haja vista que a formação do povo brasileiro, é, realmente, mestiça e todas as raças envolvidas em sua historicidade devem fazer parte deste processo, É assim que eu acredito ser importante. Precisamos referendar todas as matrizes étnico-raciais na sua formação do aluno.

Assim, contos, lendas, músicas, arte, histórias, ciência no contexto africano devem ser trabalhados sem preconceito racial ou religioso e com criatividade e ludicidade, a fim da criança poder deslumbrar o trabalho de autores negros e fazerem sua releitura.






Escolhi para este abo o trabalho com contos africanos que culminou numa exposição artística da releitura dos alunos do 3º ano B e D da Escola Municipal Bela Vista do Lobato.













Plano de Aula:









Tema: A Criação do Mundo – Conto Africano

Duração: 2 dias

Objetivo:

Estudar a criação do mundo através do conto africano fazendo relações naturais com outros saberes sejam estes religiosos ou científico desmistificando o preconceito de forma lúdica e tecnológica.

Habilidades:









Passos da Aula:

1º Ida ao laboratório de Tecnologias em grupo de 15 alunos fazendo revezamento para o outro grupo, conforme o projeto de tecnologias.

2º Retorno para sala de aula para discussões em grupo;

3º Relato sobre a criação do mundo e a relação com o conto africano;

4º Preparo da sala para a releitura em forma artística (utilizando plaquinhas de isopor como telas);

5º Preparar a aquarela e distribuir as equipes;

6º Pintura das telas com releitura das imagens do conto trabalhado;

7º Produção de texto – legenda para colocar sob a tela pintada;

8º Exposição do trabalho no painel da escola.

Recursos:

Projeção de slide;
Laboratório de tecnologias/ computadores;
Plaquinhas de isopor para queijo e presunto;
tintas guache variadas;
pinceis;
cartolina;
livro de literatura : contos Africanos de Raul Lody








Um comentário:

MARIA FERNANDA disse...

Com certeza.Temos que validar essa lei de verdade,e temos que ter o cuidado na forma que trabalhamos essa lei nas escolas, para que não possamos cometer os mesmos erros do passado, resumindo em escravidão, capoeira, maculelê, candomblé etc.O trabalho a ser realizado nas escolas,tem que ser de conscientização , valorização e igualdade entre os povos.Trabalhar a questão da identidade cultural e a volarização do outro.Se fizermos um trabalho de excelência, com certeza colheremos frutos positivos para as gerações futuras.